Flamengo homenageia ídolos negros

Com inúmeros títulos e craques a história do Clube de Regatas do Flamengo não seria a mesma sem os atletas negros que marcaram diversos momentos da história do clube. Do ponta-esquerda Jarbas, primeiro negro a atuar pelo Mais Querido, passando pelo goleiro Ubirajara, primeiro arqueiro rubro-negro a marcar gol em uma partida, até o atacante Leônidas, o Diamante Negro, todos foram fundamentais para as glórias rubro-negras. Prestando uma homenagem a essa história, na luta contra o racismo no futebol, vinte jogadores do time profissional, além do treinador Jayme de Almeida e do auxiliar Cantarele, entrarão com os nomes de grandes atletas negros do passado do Flamengo estampados em suas camisas de jogo no Fla-Flu deste domingo (11.05), às 16h, no Maracanã. 

 
Entre os homenageados estão nomes que representam várias gerações como Andrade, Adílio, Nélio e Domingos da Guia. Conheça abaixo um pouco mais da história de cada ídolo:
 
Felipe entra com a camisa de UBIRAJARA: Primeiro goleiro do Flamengo a fazer gol. O tento histórico, marcado de sua própria área, aconteceu na última rodada do Campeonato Carioca de 1970, na vitória por 2 a 0 sobre o Madureira, no estádio da Ilha do Governador. Jogou entre 1968 e 1972 (além de uma partida em 1976). Venceu o Campeonato Carioca, em setembro de 1972. Tem 68 anos e mora no Rio de Janeiro.
 
Paulo Victor entra com a camisa de LUIZ BORRACHA (in memoriam): Foi o goleiro titular das traves rubro-negras entre julho de 1945 e março de 1948, se tornando o arqueiro que atuou mais vezes no estádio da Gávea.
 
Léo Moura entra com a camisa de TONINHO (in memoriam): Foi o lateral-direito titular no Brasileirão de 1980, o primeiro do Flamengo, e no tricampeonato estadual de 1978/79/79. Ao lado de Zico, foi um dos dois atletas rubro-negros a disputar a Copa da Argentina, em 1978.
 
Digão entra com a camisa de BETO: Foi capitão e meia no título estadual de 2001 e na Copa dos Campeões do mesmo ano, sempre com grande identificação com a torcida do Flamengo. Está com 39 anos e mora no Rio de Janeiro.
 
Samir entra com a camisa de DOMINGOS DA GUIA (in memoriam): Jornalistas, ex-atletas e pesquisadores consideram Domingos da Guia o maior zagueiro da história do futebol brasileiro.Em 1938 disputou a Copa do Mundo e foi eleito pela FIFA o melhor da posição no Mundial. Conquistou três Cariocas pelo Flamengo: 1939, 1942 e 1943.
 
Wallace entra com a camisa de MARINHO: Foi o zagueiro titular do Flamengo na final do Mundial e da Libertadores de 1981, atuando ao lado de Mozer. É um dos quatro jogadores, ao lado de Zico, Raul e Junior, a ter disputado como titular de todas as decisões do Flamengo entre os títulos Brasileiros de 1980 e 1983, incluindo o Mundial, Libertadores e Carioca de 1981 e Brasileirão de 1982. Tem 59 anos e, atualmente, mora no Paraná. 
 
Erazo entra com a camisa de MANGUITO (in memoriam): Zagueiro titular na campanha do tricampeonato estadual de 1978/1979/1979. Substituiu Rondinelli na final do Brasileirão de 1980, vencida por 3 a 2 sobre o Atlético-MG.
 
André Santos entra com a camisa de JORDAN (in memoriam): Com 609 jogos disputados, entre 1952 e 1963, é o quarto jogador que mais atuou na história do clube. Quando parou de jogar, em 1963, era o primeiro da lista. Nos duelos contra o Botafogo, tinha a responsabilidade de marcar o atacante Garrincha, que o reconheceu como seu melhor marcador.
 
João Paulo entra com a camisa de RODRIGUES NETO: Lateral-esquerdo titular nos estaduais de 1972 e 1974. É o 13º jogador que mais atuou na história do clube, com 438 partidas disputadas. Reside no Rio de Janeiro e tem 64 anos.
 
Cáceres entra com a camisa de JUNIOR: O Maestro, ou Vovô Garoto, fará 60 anos em junho. É um dos maiores ídolos da história do clube e o atleta que mais atuou pelo Flamengo, com a marca de 874 jogos disputados. Também é o que mais venceu, com 505 vitórias, e o que conquistou mais títulos na história do clube. Vive no Rio de Janeiro onde trabalha como comentarista de futebol.
 
Amaral entra com a camisa de LIMINHA (in memorian): Com 513 jogos disputados, entre 1968 e 1975, atuava como volante e é o 8º jogador que mais atuou na história do Flamengo. Fez o primeiro gol na decisão da Taça Guanabara de 1972, quando o Flamengo goleou o Fluminense por 5 a 2. 
 
Luiz Antonio entra com a camisa de ANDRADE: Foi o volante titular nas conquistas dos títulos do Mundial e da Libertadores de 1981, dos Brasileiros de 1980, 1982, 1983 e 1987, e dos Cariocas de 1979, 1979, 1981 e 1986. É um dos raríssimos jogadores da história do Flamengo a ter atuado no clube por dez temporadas seguidas: de 1979 a 1988. Foi autor de um dos gols mais emocionantes da história do clube: o sexto da goleada por 6 x 0 sobre o Botafogo, marcado aos 42' do 2º tempo, pelo Carioca de 1981. Foi também o técnico do time que conquistou o Campeonato Brasileiro de 2009. Tem 57 anos e mora no Rio de Janeiro, onde trabalha como técnico.
 
Muralha entra com a camisa de GERALDO (in memoriam): O meia-direita é um dos maiores ídolos da torcida de 1973 a 1976. Faleceu em 1976, aos 22 anos. Era habilidoso, técnico e driblava com facilidade. Defendeu a seleção brasileira em sete jogos e foi titular do time campeão Estadual de 1974, ao lado de Zico (então com 21 anos), Junior (com 20) e Jayme (21).
 
Márcio Araújo entra com a camisa de ADÍLIO: Um dos maiores ídolos da história do clube, é o 3º jogador que mais atuou na história do clube, com 617 partidas disputadas. Fez gols na final do Mundial de 1981, do Carioca de 1981, do Brasileirão de 1983, das Taças GB de 1982 e 1984, e das Taças Rio de 1983 e 1985. Tem 58 anos, vive no Rio de Janeiro e trabalha no Clube de Regatas do Flamengo.
 
Lucas Mugni entra com a camisa de ZIZINHO (in memoriam): Um dos maiores meias-direita do futebol brasileiro, foi ídolo de Pelé e de boa parte dos atletas brasileiros dos anos 50 e 60. Foi titular rubro-negro de 1940 a 1950 e o craque do primeiro tricampeonato estadual em 1942/1943/1944. Com 145 gols, é o 9º maior artilheiro da história do clube. Em 1950, foi considerado o melhor jogador da Copa do Mundo. 
 
Mattheus entra com a camisa de SILVA BATUTA - O maior ídolo do Flamengo na segunda metade da década de 1960, Silva foi o artilheiro e craque do time que conquistou o Estadual de 1965. Jogou a Copa do Mundo de 1966. Está com 73 anos e trabalha no Clube de Regatas do Flamengo.
 
Paulinho entra com a camisa de LEÔNIDAS (in memorian): Alguns torcedores o comparam a Pelé, mas o Diamante Negro atuou quando ainda não era possível registrar seus lances em vídeo. Foi o principal nome brasileiro na década de 1930, quando era atleta do Flamengo. Antes de jogar na Gávea, disputou a Copa de 1934. Sua passagem pelo Flamengo foi de extrema importância para o crescimento da Nação Rubro-Negra em todo o Brasil.
 
Negueba entra com a camisa de NÉLIO: É o jogador com mais títulos pelo clube nos anos 90, quando conquistou o Brasileirão de 1992, a Copa do Brasil de 1990, os Cariocas de 1991 e 1996 e a Copa Ouro Sul-Americana de 1996. Com 348 jogos disputados, é o 30º jogador que mais atuou na história do clube, sendo o que mais jogou de sua geração. Em 1992, ganhou a Bola de Prata da revista Placar como um dos melhores atacantes do Campeonato Brasileiro. Tem 43 anos e vive no Rio de Janeiro.
 
Alecsandro entra com a camisa de ÍNDIO: Foi o artilheiro do time na campanha de 1954, com 18 gols, e também das três campanhas juntas (53/54/55), com 47 gols. Único jogador do Flamengo a ter jogado na Copa do Mundo de 1954, na Suíça. Está com 83 anos e mora no Rio de Janeiro. 
 
Nixon entra com a camisa de CLÁUDIO ADÃO: Tricampeão carioca em 1978/1979/1979, foi artilheiro do Estadual de 1978, ao lado de Zico e Roberto Dinamite. Em 154 jogos disputados, entre 1977 e 1980 e em 1983, marcou 83 gols, alcançando a boa média de 0,53 gols por partida. Tem 58 anos e mora no Rio de Janeiro. 
 
Jayme de Almeida entra com a camisa de JAYME DE ALMEIDA (pai) (in memoriam): Foi o lateral-esquerdo e capitão do Flamengo no tricampeonato de 1942/1943/1944 e o único jogador daquele elenco a ter disputado todos os jogos do time nos três campeonatos conquistados.  
 
Cantarele entra com a camisa de JARBAS (in memoriam): Atuava como ponta-esquerda e foi o primeiro negro a atuar pelo clube. Foi titular no título estadual de 1939, que colocou fim ao maior jejum de títulos da história do Flamengo: 12 anos. Foi também o 1º estadual conquistado pelo clube na Era do Profissionalismo - desde 1933.
 

Autor: Comunicação
Fonte: Site Oficial do Clube
 

Compartilhar Compartilhar Compartilhar Compartilhar
comentários

unirse a la conversación

Os pontos de vista e opiniões expressadas neste post são somente as do autor e não representam necessariamente as da Paixão Futebol.

SABIA QUE TEM MAIS NOTÍCIA AQUI EM BAIXO?
Continue navegando!

DESTAQUE DE HOJE