PÉROLA

Vencer a Libertadores com dois clubes diferentes: privilégio de 28 jogadores

Na quarta-feira, contamos que Claudemir Vitor foi o único jogador que venceu a Libertadores com 3 clubes diferentes. Agora chegou o momento de você conhecer aqueles que ganharam com duas equipes. A lista é bem mais longa, com 28 jogadores, divididos em quatro países: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.

Claudemir Vitor venceu com o São Paulo em 1993, Cruzeiro em 1997 e Vasco da Gama em 1998. Os jogadores que estiveram mais perto de alcançá-lo foram foram Cubilla, Saralegui e Schiavi, com River Plate (1966), Barcelona (1990) e Grêmio (2007), respectivamente.

Brasil:
Raúl (Cruzeiro 1976, Flamengo 1981), Tita (Flamengo 1981, Grêmio 1983), Elivélton (São Paulo 1992, Cruzeiro 1997), Válber (São Paulo 1993, Vasco Da Gama 1998), Palinha (São Paulo 1992-1993, Cruzeiro 1997), Dinho (São Paulo 1993, Grêmio 1995), Paulo Nunes (Grêmio 1995, Palmeiras 1999), Fabiano Eller (Vasco Da Gama 1998, Internacional 1996-2010), Júnior (Palmeiras 1999, Sao Paulo 2005), Luizão (Vasco da Gama 1998, São Paulo 2005), Josué (São Paulo 2005, Atlético Mineiro 2013), Alecsandro (Inter  2010, Atlético Mineiro 2013) e Diego Tardelli (São Paulo 2005, Atlético Mineiro 2013

Uruguai: 
Luis Cubilla (Peñarol 1960-1961, Nacional (U) 1971), Julio Montero Castillo (Nacional 1971, Independiente 1973), Nelson Gutiérrez (Peñarol 1982, River Plate 1986), Mario Saralegui (Peñarol 1982, River Plate 1986), Hugo De León (Grêmio 1983, Nacional 1988), Ernesto Vargas (Peñarol 1982, Nacional 1988), Sergio Orteman (Olimpia 2002, Boca Juniors 2007).

Argentina:
Miguel Ángel Mori (Independiente 1964-1965, Racing 1967), Francisco Sá (Independiente 1972-1973-1974-1975, Boca Juniors 1977-1978), José Horacio Basualdo (Vélez Sarsfield 1994, Boca Juniors 2000), Rolando Schiavi (Boca Juniors 2003, Estudiantes 2009), Mauro Boselli (Boca Juniors 2007, Estudiantes 2009), Roberto Abondanzieri (Boca Juniors 2000-2001-2003, Internacional 2010).

Paraguai:
Francisco Arce (Grêmio 1995, Palmeiras 1999) e Catalino Rivarola (Grêmio 1995, Palmeiras 1999).

Compartilhar Compartilhar Compartilhar Compartilhar
comentários

unirse a la conversación

Os pontos de vista e opiniões expressadas neste post são somente as do autor e não representam necessariamente as da Paixão Futebol.

SABIA QUE TEM MAIS NOTÍCIA AQUI EM BAIXO?
Continue navegando!

DESTAQUE DE HOJE